sábado, 21 de maio de 2011

Com a liberdade escrita nos olhos


''Quando os vejo a galopar é como se o seu espírito entrasse no meu coração transmitindo-me liberdade. Mas eles sim são livres eternamente. Porquê? Porque a palavra dominar não existe para eles nem para mim, nem para aqueles que amam os cavalos. O seu coração e o seu espírito continuam a ser livres. São criaturas mágicas, com muito para dar.

Sabem, quando desenho um cavalo não consigo desenhar uma sela nem um cabresto e não é por não saber, é porque o meu coração diz que a verdadeira beleza do cavalo é a sua liberdade, o seu estado selvagem, o que eles têm dentro do seu coração, do seu espírito! É assim que eles são! Quando olho nos olhos de um cavalo enquanto faço festas no seu focinho, sinto qualquer coisa como se o cavalo falasse com o meu espírito, com a minha alma, com o meu coração! É como se fosse só eu e ele, mais nada nem ninguém entra naquele transe mágico e único.''

Autor desconhecido

Sem comentários:

Enviar um comentário