sábado, 26 de maio de 2012

Os cavalos não esquecem

Leanne Proops com um cavalo durante o estudo. (Imagem: Essex University)
Leanne Proops com um cavalo durante o estudo. (Imagem: Essex University)
Equídeos são capazes de reconhecer vozes e rostos

Costuma dizer-se que os elefantes nunca esquecem. No entanto, esta capacidade não é privilégio deles. Um estudo britânico, publicado na ''Prodeedings of the Royal Society B'', demonstrou que os cavalos são capazes de se lembrarem de rostos e vozes.

O reconhecimento de vozes e feições está na base dos comportamentos sociais. Se os animais não fossem capazes de se reconhecerem entre eles, não podiam interagir, segundo os investigadores.
 
Os cientistas Lean Proops e Karen McComb, da Universidade de Essex, fizeram duas experiências diferentes. Na primeira, duas pessoas se mantinham em pé, uma de cada lado de um cavalo – num dos lados estaria um desconhecido e no outro, o domador. Passado algum tempo, a voz do conhecido seria indirectamente difundida pela sala, onde decorre o teste e quando ouvia a voz, o cavalo reconhecia-a de imediato, identificando o rosto.

No entanto, quando a voz era da pessoa estranha, o cavalo mostrava alguma resistência antes de virar a cabeça. Os investigadores repararam que quando a pessoa se situava do lado direito, os animais reagiam mais rapidamente.


Para a segunda experiência, colocam-se duas pessoas conhecidas em cada um dos lados, de forma a assegurar que o cavalo seria capaz de distinguir as vozes e os seus rostos. Segundo a equipa de cientistas, o sistema cognitivo de reconhecimento de vozes e rostos não é uma característica puramente reservada aos seres humanos ou aos primatas.


"O cavalo doméstico é o modelo animal ideal para esta investigação, porque ele tem uma organização social complexa e uma relação próxima com os seres humanos, fazendo do reconhecimento individual de seres humanos uma capacidade altamente funcional"
, sublinhou Lean Proops em comunicado.Contudo, os investigadores querem ainda testar essa capacidade em cavalos selvagens.


Fonte de Pesquisa

Sem comentários:

Enviar um comentário