sexta-feira, 12 de julho de 2013

Austrália pretende abater 10 mil cavalos selvagens

Notícia de 22 de maio de 2013


O Conselho Terra Central disse animais-incluindo cavalos, burros e camelos, estavam morrendo aos milhares devido à falta de comida e água e um abate era necessária por razões humanitárias e ambientais.
Eles também argumentam que a destruição de furos de água pelos animais de grande porte estava a ter um impacto sobre as espécies nativas que dependem das mesmas fontes de consumo.
Os animais serão abatidos a partir de helicópteros sob um esquema financiado pelo governo que deve durar até meados de junho.
Notícias do abate do mês de maio provocou protestos dos amantes de cavalos, mas o concelho insistiu que era necessário, argumentando que os cavalos e camelos, sofrem, morrem e poluem poços.
"Ninguém quer ver o sofrimento, especialmente os proprietários locais que amam os cavalos, mas são bem conscientes das terríveis consequências que podem ter ", disse o diretor do conselho, David Ross.
"Queremos realizar um abate aéreo de cavalos numa área particular, onde existem cerca de 10 mil cavalos selvagens que sofrem mortes lentamente terríveis, destruindo o país para os próximos anos. Os danos são catastróficos."
Ross acrescentou que também não era prático reunir ps animais e transportá-loscerca de 1500 quilómetros ao matadouro mais próximo. Entende os protestos contra o abate, mas diz que tinha cenas de partir o coração tomado por câmaras de sensor de movimento de cavalos a morrer em circunstâncias terríveis.
Cavalos mortos em torno de um poço vazio na Austrália Central.
Os cavalos selvagens são reconhecidos como descendentes dos cavalos Waler criados em tempos coloniais, em Nova Gales do Sul, e posteriormente exportado para o Exército britânico na Índia e usado pelo cavalo Luz australiano na Primeira Guerra Mundial.
O Waler Horse Society of Australia protestou o abate aéreo, embora concorde que a população precisa ser controlada.

Sem comentários:

Enviar um comentário